Efeito imediato da terapia manual laríngea em indivíduos disfônicos

Fonte: http://www.bv.fapesp.br/pt/bolsas/132782/efeito-imediato-da-terapia-manual-laringea-em-individuos-disfonicos/

Beneficiário: Ana Paula Reimann
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável: Kelly Cristina Alves Silverio
Área do conhecimento: Ciências da Saúde – Fonoaudiologia
Linha de fomento: Bolsas no Brasil – Iniciação Científica
Processo: 12/02901-2
Vigência: 01 de abril de 2012 – 31 de março de 2013
Assunto(s): Distúrbios da voz | Massagem | Qualidade da voz | Voz

Resumo

A terapia manual laríngea consiste na massagem da musculatura perilaríngea com o objetivo de relaxá-la, envolvendo os músculos esternocleidomastóideos, supra-hióideos e membrana tireo-hióidea. A literatura a recomenda para redução de tensão musculoesquelética associada com hiperfunção vocal e como resultado, a terapia manual tem sido usada cada vez mais no tratamento da disfonia por tensão muscular e a literatura emergente está começando a oferecer uma base de evidências para a eficácia dessas abordagens. O objetivo principal da terapia manual na área laríngea e perilaríngea é relaxar a musculatura excessivamente tensa que acaba por inibir a função fonatória equilibrada, pois a posição elevada da laringe no pescoço pode influenciar a função fonatória pela alteração do controle do comprimento e rigidez das pregas vocais, contribuindo para o desequilíbrio da qualidade vocal. O objetivo deste estudo é avaliar o efeito imediato da aplicação da terapia manual laríngea na qualidade vocal de indivíduos com disfonia funcional e/ou organofuncional e de indivíduos com vozes normais. Serão estudados 30 indivíduos adultos de ambos os sexos, com idades entre 18 e 45 anos, subdivididos em dois grupos: Grupo Experimental (GE) constará de 15 indivíduos com disfonia funcional e/ou organofuncional e Grupo Controle (GC) constará de 15 indivíduos com vozes normais e sem queixas vocais, pareados de acordo com idade e sexo dos participantes do GE. Após assinarem o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, todos os indivíduos responderão a um questionário que abordará questões sobre idade, profissão, possíveis sintomas vocais e laríngeos e sintomas de dor musculoesquelética na região cervical e laríngea. Depois, passarão por registro da voz que possibilitará a análise perceptivo-auditiva da mesma e mensuração das medidas fonatórias (mensuração dos tempos máximos fonatórios das vogais /a/, /i/ e /u/, relação s/z e contagem de números, mensurados com uso de cronômetro). O registro da voz de será realizado em ambiente tratado acusticamente, e utilizará o software de edição de áudio profissional – Sound Forge 7.0. Serão solicitados: emissão da vogal /a/ de maneira isolada e prolongada, após inspiração profunda, contagem de números de 1 a 20 e fala espontânea por 30 segundos – todas as emissões em freqüência, intensidade e ritmo mais próximos do habitual do indivíduo. Em seguida, a terapia manual laríngea será aplicada por 20 minutos, com o indivíduo sentado confortavelmente em uma cadeira. O terapeuta ficará atrás do indivíduo e iniciará a massagem nos músculos esternocleidomastóideos, supra-hióideos e laringe, bilateralmente, com movimentos descendentes circulares, amassamento e alongamento em cada grupo muscular. Após a aplicação da terapia manual laríngea, os indivíduos serão convidados a responder um questionário de auto-avaliação que investigará o efeito deste recurso quanto aos sinais e sintomas vocais e laríngeos, bem como presença ou não de dor musculoesquelética na região cervical e laríngea e passarão por novo registro da voz com as mesmas emissões solicitadas antes da aplicação da terapia manual laríngea, assim como medidas fonatórias. Os dados serão analisados estatisticamente por meio de testes paramétricos, a fim de comparar os dados pré e pós aplicação da terapia manual laríngea, bem como comparar os grupos estudados. (AU)